35 Flares Twitter 3 Facebook 20 Google+ 7 Pin It Share 1 LinkedIn 4 35 Flares ×

Conforme especifica a ISO 9001, em seu item 6.2.2 – Competência, Treinamento e Conscientização, a organização deve:

a) determinar a competência necessária para o pessoal que executa trabalhos que afetam a conformidade com os requisitos do produto;

b) onde aplicável, prover treinamento ou tomar outras ações para atingir a competência necessária;

c) avaliar a eficácia das ações executadas;

d) assegurar que o seu pessoal está consciente quanto à pertinência e importância de suas atividades e de como elas contribuem para atingir os objetivos da qualidade; e

e) manter registros apropriados de educação, treinamento, habilidade e experiência (ver 4.2.4).

T&D 3

 

 

 

Para complementar esse requisito, existe a NBR ISO 10015 – Diretrizes para treinamento.

Essa norma pode ser aplicada sempre que uma orientação for necessária para interpretar referências a educação e treinamento nas normas das famílias NBR ISO 9000 e 14000 e em outras normas. Por exemplo, a QS 9000 estabelece, no elemento 4.18.1: “A eficácia do treinamento deve ser revisada”. O assunto também é mencionado no elemento 4.18.2 da ISO TS 16949, a norma desenvolvida em conjunto pelas montadoras para seus fornecedores.

No Brasil, a norma NBR ISO 10015 vem sendo implementada pelas empresas já certificadas, por aquelas que pretendem ser certificadas e principalmente por aquelas que estão implementando a chamada Gestão por Competências.

A norma NBR ISO 10015 – Diretrizes para treinamento enfatiza a contribuição do treinamento para a melhoria contínua e tem como objetivo ajudar as organizações a tornarem seus programas de treinamento um investimento com retorno garantido. A norma diz que “É conveniente que a organização defina a competência necessária a cada atividade que afeta a qualidade dos produtos e serviços, avalie a competência do pessoal para realizar a atividade e elabore planos para eliminar quaisquer lacunas de competências que possam existir.”

Para que uma competência seja considerada essencial deve passar por três testes:

  • Valor percebido pelos clientes – Uma competência essencial deve permitir a empresa agregar valor de forma consistente e diferenciada a seus produtos e serviços; valor esse que possa ser percebido pelos clientes.
  • Diferenciação entre concorrentes – Uma competência essencial deve diferenciar a empresa de seus competidores. Precisa ser algo percebido pelo mercado como específico da marca, do produto ou da própria empresa.
  • Capacidade de expansão – Uma competência essencial deve abrir as portas do futuro para a empresa. Não basta que ela seja a base para os produtos e serviços atuais. É necessário que ela possa sustentar novos produtos e serviços.

A vantagem de trabalhar com o conceito de competência é que ele permite direcionar o foco, concentrar energias no que é necessário para que a empresa alcance os seus objetivos operacionais e estratégicos. O que caracteriza a competência é a integração e a coordenação de um conjunto de habilidades, conhecimentos e atitudes que na sua manifestação produzem uma atuação diferenciada. Elas não se restringem a uma área específica da empresa, estão difundidas de forma ampla em toda a organização.

Algumas vantagens da implementação da norma incluem:

• A ISO 10015 oferece orientação centrada na tecnologia do treinamento e na aprendizagem organizacional. Está desenhada especificamente para satisfazer as necessidades relacionadas com a qualidade do treinamento.

• As empresas familiarizadas com os sistemas de gestão da qualidade ISO 9000 não terão dificuldade para entender e implementar a ISO 10015.

• A ISO 10015, a exemplo de outras normas de gestão, utiliza o enfoque baseado em processos, o que é muito simples e prático.

• As organizações que não implementaram a ISO 9001 também podem utilizar a ISO 10015 para aumentar a eficiência e a eficácia do RH.

E quais as características essenciais da norma ISO 10015:

• A ISO 10015 vincula os investimentos em treinamento com o desempenho organizacional.

• A ISO 10015 exige que o treinamento tenha por base os princípios pedagógicos e os de aprendizagem organizacional.